O que escolhi pra vida #1: Comércio exterior

Oi oi pessoal.

Como prometido, cá estou eu com o primeiro episódio da série. :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: Terminei ele ontem a noite, mas pensei bastante até ter certeza que as perguntas eram suficientes para tirar as dúvidas de verdade dessa galerinha confusa. Acabei me lembrando de quando estava para me decidir, e sim, foi um dilema. Eu fiz um zilhão de testes vocacionais, vi muitas publicações sobre o tema, mas tudo era sempre muito vazio, não dava para definir somente por aquilo. Eram muitas dúvidas na minha cabeça, e ninguém para respondê-las – deveria tê-las escrito para poder aproveitar agora heheheheh –. Mas sem demora, vamos ao que eu escolhi pra minha vida. ⭐

foto_profissoes_galeria1

Para introduzir melhor vocês a minha escolha, estou com 20 anos e comecei fazendo técnico em comércio exterior ainda no ensino médio. Um semestre ao sair da escola, ingressei em comex, e me graduei em Julho de 2014. Hoje atuo como auxiliar de comércio exterior na área de importação. Vale lembrar que os comentários estão abertos para que tirem dúvidas, ou deem sugestões de melhoria para os posts. 😀

1 – O que você sempre se imaginou fazendo?
Desde pequena gostei das coisas bem feitas, então sempre me imaginei fazendo tudo o que eu via os outros fazendo mal/errado, só que da forma certa. Já tive certeza da profissão que iria escolher muitas vezes, não dá pra contar no dedo, sério, me imaginei sendo desde caixa de super mercado, até uma advogada que levava os criminosos a cadeia hehehehe Eu tinha uma visão de mundo ideal bem estabelecida e queria alcançá-lo em qualquer área que fosse.

2 – Como foi apresentada a sua área?
Minha mãe sempre me incentivou e me embarcou em todo cursinho que conseguia, e um deles foi o de técnico em comércio exterior. Eu estava no segundo ano do ensino médio, e a instituição em que cursei foi até as escolas públicas da cidade, e convocou os interessados para estudar gratuitamente, já que tinha uma parceria com o governo do estado. E claro, eu aceitei a oportunidade e acabei aprendendo o básico de logística e comércio exterior.

3 – O que faz um profissional na sua área?
Primeiro é preciso entender que assim como qualquer profissão tem uma gama muito grande de atuação, e sem dúvida eu ainda não conheci todas as possibilidades. Elas são principalmente divididas em três, mas claro, há outras divisões:
– Atuar em Órgãos federais, que regulam o setor;
– Atuar dentro de empresas privadas, como importador ou exportador de algum determinado produto;
– Atuar como prestador de serviço a essas empresas, caso elas não queiram se especializar no comex e sim focar em sua área de negócio.

4 – Existe graduação?
Sim, existe. Para graduação existem dois cursos, tecnólogo em comércio exterior, e bacharelado em administração com ênfase em comércio exterior. Por incrível que pareça, as disciplinas na área são bem parecidas. A diferença é que no bacharelado você vê mais a parte administrativa. Tu cursa adm nos primeiros dois anos, e depois entra na parte de comex, fazendo então o mesmo período do tecnólogo; dois anos de curso específico. Além deles, há cursos a parte para aperfeiçoamento de determinado ponto de trabalho.

5 – Qual a sua especialização?
É sempre uma complicação para explicar isso, porque geralmente quando termino, as pessoas estão com cara de “claro, entendi tudo, só que não” hehehehehe. Mas juro que vou me esforçar. Eu trabalho em uma prestadora de serviços de comércio exterior, na área da importação. Nessa parte da empresa temos profissionais que vão atuar nos tramites para liberar/nacionalizar um determinado produto, vindo de outro país. Para determinados produtos, os Órgãos anuentes intervêm no trâmite, para assegurar que o produto pode ser trazido com segurança, e sempre respeitando os produtores internos, a exemplo da ANVISA que regulamenta a importação de medicamentos, alimentos, cosméticos, etc. Sempre que há essa intervenção, é necessário registrar um licenciamento para que o Órgão aceite ou não a importação, e o setor responsável por essa liberação é o de licenciamento de importação. É uma parte bem pequena no processo como um todo, pois nem todo produto passa por essa etapa. É uma área bem especifica, aprendemos coisa nova o tempo todo, além é claro de podermos nos desenvolver individualmente no setor.

6 – É uma área voltada para exatas, humanas ou biológicas?
É até esquisito dizer isso agora, porque quando tinha 15 anos eu não imaginava que fosse assim, mas pelo menos na minha área, é uma mistura de exatas e humanas. Para o que eu atuo hoje, eu não mexo tanto com exatas, até porque não faço a parte de cálculo de impostos ou custo do processo. Na realidade a parte de licenciamento requer bastante compreensão tanto de letras, quanto de matemática básica, como regra de três e porcentagem. É difícil quando tem de ser redigido um comunicado a um anuente e a pessoa não sabe se dirigir da maneira correta, por isso é importante que tenhamos escrita desenvolvida. Mas vale dizer, dificuldade em matemática não é algo que vai te atrapalhar, porque não fazemos cálculos malucos nem nada, é tudo bem simples.

7 – Conte um pouco sobre sua rotina de trabalho.
Ela é toda na frente de um computador, da hora que eu chego, a hora que vou embora. Na fase atual do meu trabalho, eu emito alguns licenciamentos, conforme eles aparecem – cuido de um cliente em especifico -, tiro duvidas dos colegas mais novos na área, sempre de olho nos e-mails, e cumpro algumas anuências, pois pessoalmente trabalho com mais de uma. Há o pessoal que tem mais contato com os clientes externos da empresa, mas na minha função o contato é somente interno.

8 – Como é a remuneração na área?
Depende bastante. Varia de cidade para cidade, de empresa para empresa. Por exemplo, em São Paulo, há muito mais valorização em questão de remuneração, sem dúvida. Mas em Campinas também tem bastante vaga, e muitas empresas boas para aprendizado. De inicio é bom ter em mente que ganhará pouco, as vezes até mesmo menos que alguém que não tenha formação, ou uma área especifica de atuação, mas se você quer entrar nesse mundo e aprender cada vez mais, terá que passar por isso.

9 – Comentários…
Quero aproveitar esse campo para falar um pouco sobre algo não muito falado em reportagens… o estresse. Você passa por muito estresse durante o dia todo quando trabalha com importação. Quando não há erro aqui no final do processo, há erro na origem, durante a emissão dos documentos, e isso te deixa louco mesmo. O voo/navio não chega quando é pra chegar, partes se perdem no meio do caminho, uma loucura que só vendo. Mas no final do dia te dá aquele alívio, sabe? A sensação de dever cumprido e satisfação por estar fazendo algo que gosta.
Deixo como dica para quem estiver com dúvida que faça um curso técnico antes, se tiver a oportunidade, para se familiarizar mais a área, mas já adianto, mesmo com o curso e com a graduação, a vivencia no trabalho é diferente, tudo deixa de ser um bicho de sete cabeças e flui bem melhor.

Pessoal, esse foi o primeiro post dessa série. Eu espero que tenham gostado, e para os que estão em dúvida do que escolher pra vida, que tenham tido um auxílio com relação a esse caminho. Quero deixar aberto para que deem sugestões de mais perguntas, para que possamos sempre ajudar ao máximo essa galerinha.

Tenham todos um feriado bem gostoso, que amanhã voltamos a correria hehehehehe

Bjs e até a próxima.

Anúncios

Não tenha vergonha. Anda, comenta logo.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s