O que escolhi pra vida #4: Estética e cosmética

Oi oi pessoal

Como prometido, o ‘O que escolhi pra vida’ de hoje será com a Daniela Bueno, do Dani Bueno blog. Ela é formada em estética, e atua na área dela. No site dela tem hiper dicas sobre estética, e pra quem gosta de conhecer coisa nova sempre, é ótimo. Não deixem de visitar.

foto_profissoes_galeria1

1 – O que você sempre se imaginou fazendo?
Desde pequena sempre fui muito vaidosa, eu implorava pra minha mãe me levar no dermatologista, mas não pensava nisso como profissão. Comecei a cuidar muito cedo da pele sem ninguém dizer que eu tinha que fazer isso, mas na verdade meu sonho era ser atriz, sempre tive uma paixão pelo teatro, tanto é que ainda faço.

2 – Como foi apresentada a sua área?
Minha prima mais velha fez faculdade de Estética e Cosmética quando eu ainda estava no Ensino Fundamental, ela sempre me contava tudo o que estava aprendendo. Na época eu lembro que não fazia ideia que existia um curso assim, então comecei a estudar mais sobre o assunto e fui me apaixonando pela área.

3 – O que faz um profissional na sua área?
A área é bem abrangente.. podemos trabalhar em hotéis, spas, clínicas, salões de beleza, com médicos, navios ou até mesmo dando aulas. Um esteticista pode trabalhar com massagens em geral, tratamentos faciais como peelings, radio frequência e limpeza de pele, depilação e com outros tipos de tratamentos corporais.

4 – Existe graduação?
Sim!! Existe duas opções de curso, a graduação de Tecnologia em Estética e Cosmética que costuma durar 3 anos, ou o curso técnico que geralmente é 1 ano de duração. Lembrando que na hora de atuação profissional existem diferenças, o tecnólogo em Estética pode atuar mais do que um técnico.

5 – Qual a sua especialização?
Comecei trabalhando somente com Estética Facial que é minha paixão, mas depois de alguns meses fiz um curso de Depilação a Laser e além disso introduzi as Drenagens Pós-Cirúrgicas e em Gestantes no meu cotidiano.

6 – É uma área voltada para exatas, humanas ou biológicas?
Biológicas sem dúvidas, no curso tem muita anatomia e biologia. Já que trabalhamos com o corpo humano, é necessário estudá-lo por completo, mas apesar de ser uma área mais biológica, também tem matérias de humanas e exatas, como sociologia e química.

7 – Conte um pouco sobre sua rotina de trabalho.
Minha rotina é bem puxada, trabalho de Segunda a Sábado… Geralmente das 14 às 21 horas,  pois é o horário de funcionamento da clínica onde atuo, menos de Sábado, que geralmente é das 8 às 14 horas. Tento ao máximo conciliar o blog junto, então imagina… minha vida é uma correria só rsrs. Atendo com horários agendados e cada dia é diferente do outro, tem vezes que atendendo mais facial, outras mais depilação… Varia muito, o que pra mim é ótimo, não gosto muito de rotina.

8 – Como é a remuneração na área?
No começo como em qualquer trabalho não é lá aquelas coisas, a gente trabalha mais do que ganha. Mas dependendo de onde estiver trabalhando, há a possibilidade de crescimento. Varia muito também do tipo de público que você atende, e da região. O mais importante é sempre estar se atualizando com cursos para ter um diferencial.

9 – Comentários..
Todo mundo acha que é uma faculdade/área fácil, mas precisa amar muito para sobreviver nesse mercado estético. Infelizmente hoje em dia, existem muitas clínicas e lugares que oferecem tratamentos estéticos que são clandestinos, ou que trabalham com aparelhos falsificados. O mais importante é manter a ética profissional acima de tudo para não se deixar levar.
Não poderia deixar de comentar sobre os sites de compras coletivas. Muitas pessoas anunciam quando estão no começo da carreira achando que podem fidelizar mais clientes com isso, mas então enganados. Quem procura ofertas nesses sites só compram lá, a pessoa nunca vai pagar o valor real do tratamento direto com você. Sem contar que desvaloriza muito o nosso trabalho, já vi absurdos como limpeza de pele que cobraram 20 reais, isso não existe!! Não paga nem todos os produtos que usamos. Por isso não deixe se enganar achando que é mais fácil, pois a verdade é que só saímos perdendo.
Acredito que quando nos entregamos de verdade para nossa profissão, o reconhecimento e o sucesso são só consequências, então ame o que vocês escolherem.

Bem legal, né pessoal? Hoje em dia a estética está cada dia mais presente no nosso dia a dia, seja para procedimentos realizados por profissionais, ou aqueles que fazemos em casa. É sem dúvida uma área com grande expansão. Não se esqueçam, caso tenham dúvidas para a Dani, é só deixar uma mensagem ai embaixo, que você será respondido.

Adorei conhecer mais sobre esse curso, e vocês? O que estão achando da série? Espero que esteja ajudando.

Um beijo e até a próxima.

O que escolhi pra vida #3: Letras

Oi oi pessoal

No O que escolhi pra vida de hoje,  teremos a participação da Melissa Carvalho do blog Aos vinte quatro. Ela é de Guarulhos, e se formou em Letras. Estivemos conversando por e-mail, e concordamos em trazer um plus para esse post. Sim, isso mesmo. Vamos explicar tudo direitinho no decorrer no post sobre a formação dela, incluindo a especialização, e também sobre sua área de atuação atual. Mas antes, pare o que está fazendo, e vá visitar o blog dela, que é lindo que só.

foto_profissoes_galeria1

1 – O que você sempre se imaginou fazendo?
Sempre me imaginei escrevendo para a coluna de uma revista ou jornal, ou até mesmo sendo repórter.

2 – Como foi apresentada ao seu curso?
Eu pensei em fazer jornalismo, mas na época optei pelo curso de Letras por também me interessar muito a área de língua inglesa.

3 – O que faz um profissional que cursa letras?
Há diversas áreas neste curso. Você pode dar aulas de línguas como também ir para a área de tradução e intérprete, revisão, editoração etc.

4 – Como é o mercado para profissionais recém formados?
Me formei há quatro anos. Sempre tive um pouco de dificuldade de achar vagas em jornais e revistas sendo cursada em Letras. Eles queriam alguém que tivesse curso em jornalismo ou já tivesse alguma experiência. Mas acredito que atualmente está mais fácil de achar vagas na área, é só ter certeza sobre a sua especialização.

5 – Existe especializações?
Existe especializações. No curso de Letras você pode escolher uma língua estrangeira, como inglês, espanhol, sendo as mais comuns, e dependendo da universidade há outras opções como alemão, francês… Se você quiser focar em tradução, pode fazer uma especialização na área de tradutor e intérprete. O curso de Letras é dividido em Bacharel e Licenciatura basicamente.

6 – Com o que trabalha atualmente?
Atualmente eu trabalho focada na área de língua inglesa. Agora estou trabalhando como recepcionista bilíngue, mas já trabalhei também no aeroporto, em uma companhia internacional.

7 – Conte um pouco sobre sua rotina de trabalho.
A minha rotina é toda administrativa, mas com a língua inglesa inserida nela. Tenho bastante contato com estrangeiros, o que facilita a minha aprendizagem.

8 – Foi necessário que cursasse alguma faculdade/curso para atuar na sua área atual?
Eles procuravam alguém que tivesse conhecimento na língua inglesa. Dai que entra a importância do curso de Letras, pois para você se especializar em línguas, nada melhor que esse curso. Mas se você acha que vai aprender mesmo a língua estrangeira só na sua faculdade digo que não. O certo é englobar um curso da língua a parte, para você desenvolver mais. Um completa o outro.

9 – Como é a remuneração na área em que trabalha, e como seria na área do seu curso?
A remuneração de uma recepcionista bilíngue varia muito de lugar para lugar, mas é em média R$ 1.500,00 a R$ 3.000,00. E se você se tornar uma secretária o salário aumenta mais, em média de R$ 2.000,00 – R$ 7.000,00, ou mais, dependendo da empresa. O salário depende muito do que você quer fazer. Se for lecionar, a remuneração já não é tão alta. Na parte de tradução, depende muito do trabalho que você for pegar. Tradução juramentada é o que mais dá dinheiro, tendo que ser feito um outro curso de especialização. Intérprete também sei que a remuneração é alta. É um mercado muito amplo…

10 – Comentários.
Acredito que compensa fazer o que você gosta mesmo se o salário no começo não é o que você imaginava. Eu quero muito trabalhar com tradução para ter mais flexibilidade. O segredo é fazer o que se gosta independente se o seu curso é muito cotado ou não. Fazer o curso de Letras me abriu muitas portas no sentido de escrita e de línguas. Não me arrependo e quero muito intensificar o que foi aprendido, trabalhando mais voltado para essa área de escrita e língua inglesa.

Pra mim a Melissa disse tudo, o principal na escolha da faculdade, e do que escolher pra vida, é você fazer o que gosta. Acontece muito de pensarmos “poxa, esse curso tem muito candidato”, ou “o mercado está cheio”. No final das contas, o que importa é sua felicidade e empenho, porque ninguém faz o trabalho igual do outro, então só depende de você, por mais que seja difícil chegar lá, se tu se dedicar, tu chega.

Para quem tiver mais curiosidade sobre a área de formação/atuação da Melissa, fique a vontade para comentar ai embaixo. 🙂

Eu espero que vocês estejam aproveitando essa série, pois todos os envolvidos estão realmente querendo ajudar e fazer do seu futuro, aquilo que você sempre imaginou. No próximo post teremos a Daniela Bueno, falando sobre estética.

Bjs e até a próxima.

O que escolhi pra vida #2: Medicina

Oi oi você.

Nesse Domingo apresentarei mais um episódio da série O que escolhi pra vida, e estou bem feliz que as coisas estejam acontecendo, pra que assim possamos ajudar vocês cada vez mais. Para a profissão dessa semana, contaremos com o depoimento da Dra. Silvia Leão Souza, endocrinologista. Ela é dona do blog Reflexões e Angústias, onde expressa suas opiniões com textos de própria autoria e de muita pessoalidade.
foto_profissoes_galeria1

1 – O que você sempre se imaginou fazendo?
Eu sempre quis fazer Medicina. Desde muito pequena, sempre falei que seria médica, embora não tenha muitos médicos na família.

2 – Como foi apresentada a sua área?
Acho que a imagem que eu tinha do médico era aquela vinculada ao meu Oftalmologista, que me acompanhava desde que eu tinha 7 anos. Nunca ninguém me apresentou formalmente à profissão ou me falou a respeito.

3 – O que faz um profissional na sua área?
Embora tenhamos a imagem do médico apenas vinculado ao atendimento ao paciente em consultório, hoje em dia, vejo que a Medicina é bastante abrangente e dá uma formação muito boa para várias atuações profissionais. Então, o médico faz:
– atendimento em consultório (nas mais variadas especialidades);
– atendimento em Pronto Atendimento (também em várias especialidades);
– possibilidade de emprego público em Unidades Básicas de Saúde e Hospitais;
– trabalho em Centros de Medicina Diagnóstica (laboratórios);
– Pesquisa em Universidades (nas mais diversas áreas): desde pesquisa básica como pesquisa Clínica;
– trabalho em Informática Médica;
– trabalho em Administração Hospitalar;
– Trabalho Acadêmico em Faculdades e Universidades, focando o ensino.

4 – Existe graduação?
Existe Graduação em Medicina. É uma faculdade com duração de 6 anos (no mínimo). Dentro da Faculdade há vários estágios práticos em hospitais e centros de saúde escola.

5 – Qual a sua especialização?
Dentro da Medicina, há várias áreas de especialização. Essa especialização é feita através da Residência Médica. Há áreas Clínicas, Cirúrgicas. Há outras áreas como Anatomia Patológica, Patologia Clínica, Informática Médica. Eu sou Endocrinologista. É uma especialidade que trata dos problemas envolvendo glândulas endócrinas e hormônios. Dentro da especialidade, tratamos de:
– problemas na Hipófise
– Tireoide
– Adrenal
– Ovários
– Paratireoide – inclui toda a parte dos Ossos e Osteoporose
– Pâncreas – Diabetes
É uma especialidade clínica, ou seja, não fazemos procedimentos nem cirurgias. Eu trabalho apenas em atendimento em consultório.

6 – É uma área voltada para exatas, humanas ou biológicas?
É uma área biológica. Mas para os exames de acesso à universidade, quem quer prestar Medicina geralmente precisa de um preparo bastante amplo. A cobrança nas provas de Física, Química e Matemática é a mesma das áreas de exatas.

7 – Conte um pouco sobre sua rotina de trabalho.
Eu faço apenas atendimento em consultório. Então, minha rotina de trabalho é de consultas médicas nos meus locais de atendimento. Fora do horário de trabalho, disponibilizo meus contatos de e-mail e telefone, para que eu possa ser acessada pelos pacientes sempre que necessário.

8 – Como é a remuneração na área?
A remuneração na área médica é bastante variável. Depende da especialidade, da realização de procedimentos médicos, do tempo de formação, do reconhecimento médico profissional, do tempo de dedicação ao trabalho, da complementação da formação através de Mestrado, Doutorado ou outras especializações. Normalmente, após a formatura, o médico pode ganhar uma bolsa na Residência Médica. Alguns complementam o salário com plantões. No início da vida profissional, diria que a média de ganho esteja em torno de R$3.000 a R$5.000. Após a estabilização profissional, diria que a média de ganho seja de R$15.000 a R$20.000. Há médicos que com ganhos muito superiores, dependendo das condições descritas no início da resposta.

9 – Comentários…
Eu sou apaixonada pela minha profissão e acho a Medicina linda. Mas é uma área que exige vocação. Não gosto da visão de alguns que desejam fazer Medicina desejando uma boa remuneração. Temos que lidar com o sofrimento das pessoas, que vêm com as doenças, problemas, angústias diversas. E (eu realmente acredito nisso) acho que o médico tem que ter sensibilidade para lidar com esses sofrimentos, ter empatia, ter capacidade de escutar de verdade o que o outro tem a dizer (mesmo em seus silêncios), ter disponibilidade.

Bem legal, não é? Eu particularmente faço tratamento com médicos de várias especialidades, e alguns deles já passaram poucas e boas comigo. A confiança que deposito em cada um deles é unica, justamente porque quando estive com problemas mais complicadinhos estiveram ali dando apoio, e essa confiança é crucial no relacionamento médico e paciente.

Gostaria de agradecer a Silvia, por dispor-se a trazer sua profissão e seu depoimento aqui para o blog, principalmente por ser medicina sua formação, e ser uma área tão abrangente.

Deixo novamente o convite aberto para quem quiser contribuir com o projeto. Vale lembrar que os comentários estão aqui para duvidas que possam surgir e também para quem quiser participar, além é claro do e-mail viagensdeapartamento@gmail.com

Espero que tenham gostado.

Bjs e até a próxima.

O que escolhi pra vida #1: Comércio exterior

Oi oi pessoal.

Como prometido, cá estou eu com o primeiro episódio da série. :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: Terminei ele ontem a noite, mas pensei bastante até ter certeza que as perguntas eram suficientes para tirar as dúvidas de verdade dessa galerinha confusa. Acabei me lembrando de quando estava para me decidir, e sim, foi um dilema. Eu fiz um zilhão de testes vocacionais, vi muitas publicações sobre o tema, mas tudo era sempre muito vazio, não dava para definir somente por aquilo. Eram muitas dúvidas na minha cabeça, e ninguém para respondê-las – deveria tê-las escrito para poder aproveitar agora heheheheh –. Mas sem demora, vamos ao que eu escolhi pra minha vida. ⭐

foto_profissoes_galeria1

Para introduzir melhor vocês a minha escolha, estou com 20 anos e comecei fazendo técnico em comércio exterior ainda no ensino médio. Um semestre ao sair da escola, ingressei em comex, e me graduei em Julho de 2014. Hoje atuo como auxiliar de comércio exterior na área de importação. Vale lembrar que os comentários estão abertos para que tirem dúvidas, ou deem sugestões de melhoria para os posts. 😀

1 – O que você sempre se imaginou fazendo?
Desde pequena gostei das coisas bem feitas, então sempre me imaginei fazendo tudo o que eu via os outros fazendo mal/errado, só que da forma certa. Já tive certeza da profissão que iria escolher muitas vezes, não dá pra contar no dedo, sério, me imaginei sendo desde caixa de super mercado, até uma advogada que levava os criminosos a cadeia hehehehe Eu tinha uma visão de mundo ideal bem estabelecida e queria alcançá-lo em qualquer área que fosse.

2 – Como foi apresentada a sua área?
Minha mãe sempre me incentivou e me embarcou em todo cursinho que conseguia, e um deles foi o de técnico em comércio exterior. Eu estava no segundo ano do ensino médio, e a instituição em que cursei foi até as escolas públicas da cidade, e convocou os interessados para estudar gratuitamente, já que tinha uma parceria com o governo do estado. E claro, eu aceitei a oportunidade e acabei aprendendo o básico de logística e comércio exterior.

3 – O que faz um profissional na sua área?
Primeiro é preciso entender que assim como qualquer profissão tem uma gama muito grande de atuação, e sem dúvida eu ainda não conheci todas as possibilidades. Elas são principalmente divididas em três, mas claro, há outras divisões:
– Atuar em Órgãos federais, que regulam o setor;
– Atuar dentro de empresas privadas, como importador ou exportador de algum determinado produto;
– Atuar como prestador de serviço a essas empresas, caso elas não queiram se especializar no comex e sim focar em sua área de negócio.

4 – Existe graduação?
Sim, existe. Para graduação existem dois cursos, tecnólogo em comércio exterior, e bacharelado em administração com ênfase em comércio exterior. Por incrível que pareça, as disciplinas na área são bem parecidas. A diferença é que no bacharelado você vê mais a parte administrativa. Tu cursa adm nos primeiros dois anos, e depois entra na parte de comex, fazendo então o mesmo período do tecnólogo; dois anos de curso específico. Além deles, há cursos a parte para aperfeiçoamento de determinado ponto de trabalho.

5 – Qual a sua especialização?
É sempre uma complicação para explicar isso, porque geralmente quando termino, as pessoas estão com cara de “claro, entendi tudo, só que não” hehehehehe. Mas juro que vou me esforçar. Eu trabalho em uma prestadora de serviços de comércio exterior, na área da importação. Nessa parte da empresa temos profissionais que vão atuar nos tramites para liberar/nacionalizar um determinado produto, vindo de outro país. Para determinados produtos, os Órgãos anuentes intervêm no trâmite, para assegurar que o produto pode ser trazido com segurança, e sempre respeitando os produtores internos, a exemplo da ANVISA que regulamenta a importação de medicamentos, alimentos, cosméticos, etc. Sempre que há essa intervenção, é necessário registrar um licenciamento para que o Órgão aceite ou não a importação, e o setor responsável por essa liberação é o de licenciamento de importação. É uma parte bem pequena no processo como um todo, pois nem todo produto passa por essa etapa. É uma área bem especifica, aprendemos coisa nova o tempo todo, além é claro de podermos nos desenvolver individualmente no setor.

6 – É uma área voltada para exatas, humanas ou biológicas?
É até esquisito dizer isso agora, porque quando tinha 15 anos eu não imaginava que fosse assim, mas pelo menos na minha área, é uma mistura de exatas e humanas. Para o que eu atuo hoje, eu não mexo tanto com exatas, até porque não faço a parte de cálculo de impostos ou custo do processo. Na realidade a parte de licenciamento requer bastante compreensão tanto de letras, quanto de matemática básica, como regra de três e porcentagem. É difícil quando tem de ser redigido um comunicado a um anuente e a pessoa não sabe se dirigir da maneira correta, por isso é importante que tenhamos escrita desenvolvida. Mas vale dizer, dificuldade em matemática não é algo que vai te atrapalhar, porque não fazemos cálculos malucos nem nada, é tudo bem simples.

7 – Conte um pouco sobre sua rotina de trabalho.
Ela é toda na frente de um computador, da hora que eu chego, a hora que vou embora. Na fase atual do meu trabalho, eu emito alguns licenciamentos, conforme eles aparecem – cuido de um cliente em especifico -, tiro duvidas dos colegas mais novos na área, sempre de olho nos e-mails, e cumpro algumas anuências, pois pessoalmente trabalho com mais de uma. Há o pessoal que tem mais contato com os clientes externos da empresa, mas na minha função o contato é somente interno.

8 – Como é a remuneração na área?
Depende bastante. Varia de cidade para cidade, de empresa para empresa. Por exemplo, em São Paulo, há muito mais valorização em questão de remuneração, sem dúvida. Mas em Campinas também tem bastante vaga, e muitas empresas boas para aprendizado. De inicio é bom ter em mente que ganhará pouco, as vezes até mesmo menos que alguém que não tenha formação, ou uma área especifica de atuação, mas se você quer entrar nesse mundo e aprender cada vez mais, terá que passar por isso.

9 – Comentários…
Quero aproveitar esse campo para falar um pouco sobre algo não muito falado em reportagens… o estresse. Você passa por muito estresse durante o dia todo quando trabalha com importação. Quando não há erro aqui no final do processo, há erro na origem, durante a emissão dos documentos, e isso te deixa louco mesmo. O voo/navio não chega quando é pra chegar, partes se perdem no meio do caminho, uma loucura que só vendo. Mas no final do dia te dá aquele alívio, sabe? A sensação de dever cumprido e satisfação por estar fazendo algo que gosta.
Deixo como dica para quem estiver com dúvida que faça um curso técnico antes, se tiver a oportunidade, para se familiarizar mais a área, mas já adianto, mesmo com o curso e com a graduação, a vivencia no trabalho é diferente, tudo deixa de ser um bicho de sete cabeças e flui bem melhor.

Pessoal, esse foi o primeiro post dessa série. Eu espero que tenham gostado, e para os que estão em dúvida do que escolher pra vida, que tenham tido um auxílio com relação a esse caminho. Quero deixar aberto para que deem sugestões de mais perguntas, para que possamos sempre ajudar ao máximo essa galerinha.

Tenham todos um feriado bem gostoso, que amanhã voltamos a correria hehehehehe

Bjs e até a próxima.

Novidade no blog: O que escolhi pra vida

Oi oi gente.

Para esse final de semana eu tive uma ideia brilhantíssima. Na realidade, eu já havia pensado na coisa toda há bastante tempo, mas a venho amadurecendo, e finalmente pensei em uma forma de colocar em prática.

foto_profissoes_galeria1

Minha prima está em uma idade bem difícil para algumas pessoas; no terceiro ano do ensino médio, a ponto de escolher qual será sua profissão, e assim como eu estava nessa época, ela não sabe que caminho tomar.

É bem comum termos jovens nessa situação, porque carreira não é algo que preocupe muito quando estamos com 15/16 anos, e já aos 17/18, temos que escolher uma faculdade. Além é claro do fato de que a maioria das escolas – e isso eu falo por vivencia própria – não te dá o menor auxílio nessa escolha.

Pensando em ajudar a ela, e consequentemente a muitos outros adolescentes nessa idade, inicio hoje uma série aqui no blog, que nomearei de “O que escolhi pra vida”. Nessa série basicamente teremos um convidado por post, e ele falará um pouco da sua profissão/curso escolhido, sempre com perguntas padrões pra todo mundo, e ao final um amontoado de conclusões sobre a escolha que essa pessoa fez; algo que queira deixar como mensagem para a garotada.

E claro, para que isso aconteça, precisarei muito da ajuda de vocês, porque conheço muita gente do comércio exterior, e pouquíssimas de outras áreas. E ai, o que acharam da ideia? Tinha pensado em fazer no formato de tag, mas como a intenção é que a pessoa entre e veja a gama de opções que ela tem, fica um pouco complicado fazer por tag, porque não dá para juntar tudo num lugar só.

Deixarei tanto esse post, quanto o e-mail viagensdeapartamento@gmail.com a disposição para quem desejar participar. Por e-mail, peço que coloquem no assunto o título da série, O que escolhi pra vida, para que eu consiga filtrar melhor os e-mails.

Em breve libero o primeiro episódio da série, que será sobre o que eu escolhi pra minha vida, assim é claro que pensar nas perguntas e tudo mais hehehehehe Sim, vim divulgar com a coisa bem crua mesmo, é que eu estava empolgada.

Espero que tenham gostado, e que estejam tão empolgados quanto eu, e claro, que queiram contribuir para que tenhamos cada vez mais jovens certos de suas escolhas.

Bjs e até a próxima.