Como tenho me visto

“Maquiagem cê não usa pra agrada os outros ce usa pra se sentir mais poderosa mais mulherão fazer carão e lacrar chegar no samba no role”. Twitter @Namorou

Poucas coisas TÊM de estar presentes em uma pessoa. Grande parte do que somos é uma escolha, mas essa coisinha em especifico é obrigatória, e apesar de muita gente não ter resquicio disso em si, é somente nós mesmos que podemos conquistá-la. Essa coisinha é a autoestima. 
Por definição, autoestima é o “apreço ou valorização que uma pessoa confere a si própria, permitindo-lhe ter confiança nos próprios actos e pensamentos”. 

Pode parecer simples, afinal como alguém pode não valorizar-se, não se auto apreciar. Pois bem, é esse quadro, praticamente inacreditavel, que encontramos ao conversar com muitas pessoas, pessoas que não dão-se o devido valor, que se vêm inferiores aos seus próximos, e que por muito, se perdem entre o que são, e o que os outros querem que ela seja.


Quem me conhece sabe que sou da vibe “eu me amo”, olho para frente acima de tudo, e é difíci me atingir com comentários sobre mim, mas nem sempre fui assim.

Sabe aquela história de se mostrar forte? Costumava agir pensando isso, que precisava me mostrar forte, mesmo não estando. E não é fácil você sair desse quadro porque você acaba realmente acreditando estar bem, quando na verdade, só aumenta sua fragilidade.

Me gratifica muito o fato de hoje me sentir assim em verdade, me vendo como eu sou, e não como quero que me vejam. Sinto mais vontade de sair, de ver gente, de cuidar de mim… Enfim, amar e cuidar de mim.

É extremamente fundamental entendermos a importância disso, e nos valorizarmos ao máximo pelo que somos.